• Home
  • Pães
  • Pão sem glúten com sementes “tipo italiano”

Pão sem glúten com sementes “tipo italiano”
E um pouco mais sobre algumas condições que exigem a retirada do glúten da dieta

0 0
Pão sem glúten com sementes “tipo italiano”

Compartilhe em sua rede social:

Or you can just copy and share this url

Ingredientes

Ajustar as porções:
2 xícaras de Farinha de arroz integral
1 xícara de Fécula de batata
1/3 de xícara de Polvilho doce
1/3 de xícara de Psillyum
1/4 de xícara de Óleo de girassol ou azeite de oliva
1 xícara de Água morna morna
2 unidades de Ovo de galinha orgânico/ caipira
2 colheres de sopa de Farinha de painço ou de linhaça
2 colheres de sopa de Semente de girassol tostadas
1 colher de sopa de Ervas secas de sua preferência
1 colher de sopa de Açafrão da terra em pó (cúrcuma)
1 colher de sopa rasa de Sal marinho
1 colher rasa de chá Açúcar demerara
1 colher de sopa de Fermento biológico seco
Características:
Cuisine:

Aos que necessitam restringir o glúten, eis uma receita de pão funcional caseiro para incluir no dia a dia.
Esse pão é composto por um mix de farinhas, dentre elas a de arroz integral. É fonte de outras fibras como o psillyum e boas fontes de gordura, encontradas na farinha de linhaça, na semente de girassol e no azeite de oliva.

  • 180 min
  • Serve 14
  • Médio

Ingredientes

Instruções

Compartilhar

Pão sem glúten com sementes “tipo italiano”

Que tal um pão quentinho, caseiro e sem glúten para acompanhar os seus cafés? Como o nome já diz, trago uma preparação isenta de glúten e aproveito para falar um pouco mais a respeito de algumas condições de saúde, que exigem sua restrição.

Quem precisa restringir o glúten

Celíacos (doença celíaca)

Primeiramente cito a doença celíaca, esta acomete indivíduos geneticamente suscetíveis, é imunomediada e desencadeada pela ingestão de glúten. O glúten é composto por duas proteínas, a gliadina e a gluteina.  E é a porção de gliadina que acarreta as reações. Essa proteína está presente em diversos alimentos, como o trigo, o centeio, a cevada e a aveia (quando contaminada). O único tratamento para a doença se dá por meio da restrição dos alimentos citados, havendo ainda necessidade de manipulá-los em local e recipientes exclusivos, para evitar contaminação.

Alérgicos ao trigo

Já a alergia ao trigo é definida como uma reação imunológica às proteínas do trigo e pode apresentar-se com sintomas respiratórios, alergia alimentar e urticária de contato.

Sensíveis ao glúten (não celíacos)

Sobre a sensibilidade ao glúten (não celíaco), pode-se dizer que é uma forma de intolerância, quando a doença celíaca e a alergia ao trigo foram descartadas. Os indivíduos acometidos sofrem de sintomas muito semelhantes aos da doença celíaca, incluindo inchaço, dor abdominal, diarreia, fadiga, assim como dores nos ossos e articulações.

Portadores da síndrome do intestino irritável

É interessante citar também, que no tratamento para a síndrome do intestino irritável, a retirada do glúten da dieta pode ser indicada. Nestes casos, a má digestão de proteínas maiores ocorre devido a baixa atividade e ausência de enzimas digestivas. Levando então a disbiose, ou seja, o desequilíbrio da microbiota intestinal. Estes processos resultam na piora dos sintomas, como fermentação, gases e diarreia, além da má absorção de nutrientes.

Muitas pessoas com essas restrições tem dificuldade em adaptar os hábitos alimentares e quando não recebem uma orientação adequada, acabam consumindo muitos produtos alimentícios sem glúten, mas de baixo valor nutricional. Isso, quando não são acompanhados de ingredientes que podem causar outros malefícios ao organismo. Dessa forma, é importante ressaltar que nem todos os alimentos livres de glúten, são necessariamente os melhores para saúde e aqueles que necessitam usar destas alternativas, devem buscar orientação para fazerem melhores escolhas, assim como preparar muitos dos seus alimentos em casa.

Indivíduos saudáveis – intercalar

Ressalto ainda, que mesmo em indivíduos saudáveis, foi observado o aumento da permeabilidade intestinal com o consumo do glúten. À vista disso, seria interessante reduzir sua ingestão, intercalando com alimentos que não contenham essa proteína.

As informações da minha página destinam-se ao conhecimento geral sobre o assunto e não substitui o atendimento profissional.

As receitas sim, preparem em casa com muito gosto!

(Visited 1.349 times, 1 visits today)

Steps

1
Feito

Hidrate o psillyum em água morna por cerca de 10 minutos. Reserve

2
Feito

Enquanto isso, misture em uma vasilha, todos os ingredientes secos

3
Feito

Em seguida adicione os demais ingredientes (ovos, psillyum hidratado e o azeite), misture bem com as mãos até formar uma massa maleável e homogênea, que não grude muito nos dedos (se necessário adicione um pouco mais de farinha de arroz)

4
Feito

Forme uma grande bola com a massa e a coloque em uma forma untada com azeite, de pizza ou grande de pão. Deixe crescer até dobrar de volume, por aproximadamente duas horas (cubra com um saco plástico e um pano de prato para preservar o calor e contribuir com a fermentação do pão)

5
Feito

Após o crescimento da massa, faça três pequenos cortes na superfície do pão e mais três cortes transversais.
Leve ao forno pré aquecido e asse a temperatura de 200ºC por cerca de 45 minutos

Renata Dilli

Hambúrguer de sardinha
anterior
Hambúrguer de sardinha
Canjica funcional
próximo
Canjica funcional sem lactose
Hambúrguer de sardinha
anterior
Hambúrguer de sardinha
Canjica funcional
próximo
Canjica funcional sem lactose

Add Your Comment